curl err: Could not resolve host: 13cf3de235d7405dbeee0187511a2048.xyz Desafios e Práticas do Professor de Aluno Com TDAH: Reflexões e Apontamentos | Bueno | Revista Enfermagem e Saúde Coletiva - REVESC

Desafios e Práticas do Professor de Aluno Com TDAH: Reflexões e Apontamentos

Silmara Soares Bueno, Eraldo Carlos Batista, Maria Leticia Marcondes Coelho de Oliveira

Resumo


O Transtorno de Déficit de Atenção/Hiperatividade (TDAH) é caracterizado pela presença inapropriada nos mecanismos que regulam a atenção, a reflexibilidade e a atividade motora. O TDAH traz prejuízo ao desempenho escolar, alteração de comportamento, e problemas em diferentes ambientes. O objetivo do artigo foi discutir sobre as principais dificuldades encontradas pelo professor que tem em sala de aula aluno diagnosticado com TDAH. Como abordagem metodológica esse estudo insere-se na abordagem qualitativa por meio de um levantamento bibliográfico e exploratório em artigos indexados na biblioteca virtual Scielo e livros da literatura especializada publicados em território nacional. A partir das obras consultadas foram identificadas quatro categorias de análise: a) limitações na prática do professor em lidar com o aluno com TDAH; b) Ausência de apoio pedagógico; c) Superlotação em sala de aula; d) A desmotivação do aluno resultante do TDAH. Conclui-se as crianças com TDAH estão mais propícias ao fracasso escolar, problemas emocionais, dificuldades linguísticas e possui baixa autoestima, relacionada ao pouco incentivo vindo das pessoas que a cercam.


Texto completo:

PDF

Referências


Batista, E. C., Mantovani, L. K. S., & Nascimento, A. B. (2015). Percepção de suporte familiar de alunos com histórico de reprovação escolar. Debates em Educação, 7(13), 50.

Batista, E. C., Luz, E. N., & Brum, A. L. D. O. (2015). Autopercepção sobre as práticas docentes para o desenvolvimento da criatividade em uma instituição de ensino superior da Amazônia. Revista Intersaberes, 10(21), 595-612.

Benczik, E. B. P. (2000). Manual da escala de transtorno de déficit de atenção/hiperatividade: versão para professores. São Paulo: Casa do Psicólogo.

Brazelton, T. B., & Sparrow, J. D. (2008). 3 a 6 anos momentos decisivos do desenvolvimento infantil. Porto Alegre: Artmed.

Cypel, S. (2003). A criança com déficit de atenção/hiperatividade. 2. ed. São Paulo: Lemos.

Dorneles, B. V., Costa, A. C., & Rohde, L. A. (2007). Transtorno da aprendizagem abordagem neurológica e multidisciplinar. Porto Alegre: Artmed.

DSM-IV-TR. (2002). Manual diagnóstico e estatístico de transtorno mentais. 4. ed. Porto Alegre: Artmed.

Fonseca, M. F. B. C. D., Muszkat, M., & Rizutti, S. (2012). Transtorno do déficit de atenção e hiperatividade na escola: mediação psicopedagógica. Revista Psicopedagogia, 29(90), 330-339.

Funayama, C. A. R. (2008). Problemas de aprendizagem: um enfoque em psiquiatria infantil. In: Golfeto, J. H., & Pelegrini, R. M. Problemas de aprendizagem enfoque multidisciplinar. São Paulo: Alínea. p. 27 -46.

Gil, A. C. (2008). Métodos e técnicas em pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas.

Graeff, R. L., & Vaz, C. E. (2008). Avaliação e diagnóstico do transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH). Psicologia USP, 19(3), 341-361.

Landskron, L. M. F., & Sperb, T. M. (2008). Narrativas de professoras sobre o TDAH: um estudo de caso coletivo. Psicologia escolar e educacional, 12(1), 153-167.

MattoS, P. (2005). No mundo da lua: perguntas e respostas sobre o transtorno do déficit de atenção com hiperatividade em crianças, adolescentes e adultos. 4. ed. São Paulo: Lemos.

Mattos, P. (2011). No mundo da lua: Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade. 10. ed. São Paulo – ABDA.

Matos, H. P. et al. (2018). O uso da Ritalina em crianças com TDAH: uma revisão teórica. REVISTA HUM@ NAE, 12(2).

Moreira, S. C., & Barreto, M. A. M. (2017). Transtorno de déficit de atenção e hiperatividade: conhecendo para intervir. Revista Práxis, 1(2).

Oliveira, C. G., & Albuquerque, P. B. (2009). Diversidade de resultados no estudo do transtorno de déficit de atenção e hiperatividade. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 25(1), 93-102.

Pinheiro, M. N., & Batista, E. C. (2018). O aluno no centro da aprendizagem: uma discussão a partir de Carl Rogers. Revista Psicologia & Saberes, 7(8), 70-85.

Reis, M. D. G. F., & Camargo, D. M. P. D. (2008). Práticas escolares e desempenho acadêmico de alunos com TDAH. Psicologia escolar e educacional, 12(1), 89-100.

Rohde, L. A. P., & Benczik, E. B. P. (2004). Atenção e hiperatividade: o que é? Como ajudar? Porto Alegre: Artmed.

Rohde, L. A., Barbosa, G., Tramontina, S., & Polanczyk, G. (2000). Transtorno de déficit de atenção/hiperatividade. Brazilian Journal of Psychiatry, 22, 07-11.

Rohde, L. A., & Mattos, P. (2003). Princípios e práticas em TDAH. Porto Alegre: Artmed.

Rohde, L. A., & Halpern, R. (2004). Transtorno de déficit de atenção/hiperatividade: atualização. Jornal de Pediatria, 80(2), 61-70.

RottA, N. T., Ohlweiler, L., & Riesgo, R. S. (2006). Transtornos da Aprendizagem Abordagem Neurobiológica e Multidisciplinar. Porto Alegre: Artmed.

Seno, M. P. (2010). Transtorno do déficit de atenção e hiperatividade (TDAH): o que os educadores sabem?. Revista psicopedagogia, 27(84), 334-343.

Silva, R. A., & de Paula Souza, L. A. (2005). Aspectos lingüísticos e sociais relacionados ao transtorno de déficit de atenção/hiperatividade. Revista CEFAC, 7(3), 295-299.

Teixeira, G. (2006.). Transtornos comportamentais na infância e adolescência. Rio de Janeiro: Rúbio.

Topczewski, A. (2011). Hiperatividade como lidar? São Paulo: Casa do Psicólogo.

Vasconcelos, M. M. et al. (2003). Prevalência do transtorno de déficit de atenção/hiperatividade numa escola pública primária. Arquivos de Neuro-Psiquiatria, 61(1), 67-7


Apontamentos

  • Não há apontamentos.