Psicologia institucional: o trabalho do psicólogo neste contexto

Dayla Rocha Duarte, Daiana Mendes dos Santos, Leticya Vieira Kist, Getúlio Silva e Sousa, Mariana Silva Rodrigues

Resumo


Este trabalho tem como propósito trazer conhecimento para os acadêmicos de psicologia 2017, da realidade da atividade prática do psicólogo inserido no contexto institucional e na educação especial, bem como trazer à público a atuação do Centro Educacional De Rolim de Moura (CER) nas atividades com pessoas com de necessidades especiais no município de Rolim de Moura - RO. Utilizou-se o método de observação através de algumas visitas realizadas junto a instituição Centro Educacional de Rolim de Moura, as quais foram observados os professores, colaboradores e demais integrantes da instituição supracitada. Ao portador de necessidades especiais são assegurados alguns direitos, dentre eles, o direito à segurança, a saúde física e mental, a educação e ao lazer. Constatou-se que a instituição CER busca desenvolver no seu dia-a-dia, atividades ocupacionais, possibilitando a interação entre os indivíduos que ali participam. Conclui-se que o psicólogo possui diversas maneiras de intervir com este público, apesar de trabalhar de modo interdisciplinar, tem uma função única e primordial na construção da prevenção e da promoção da saúde mental dos indivíduos com necessidades especiais.


Palavras-chave


Pessoas com necessidades especiais. Psicólogo. Educação Especial. Saúde Mental.

Texto completo:

PDF

Referências


A ALMEIDA, M. S.; NUNES, M. A.; CAMEY, S.; PINHEIRO, A. P.; SCHMIDT, M. I. Transtornos mentais em uma amostra de gestantes da rede de atenção básica de saúde no Sul do Brasil. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, [online], v. 28, n. 2, p. 385-393, fev. 2012. Disponível em: Acesso em: 19 ago. 2019.

AMARANTE, P. Saúde mental e atenção psicossocial. Rio de Janeiro: Fiocruz, p. 32-36, 2007.

AYACH A.A.; RIBEIRO I. S. Educação inclusiva: Experiências Profissionais em psicologia. Prêmio Profissional educação inclusiva: Experiências profissionais em psicologia, Brasília, DF: Conselho Federal de Psicologia, 2009.

BLEGER, J. Psico-higiene e psicologia institucional. São Paulo: Artes Médicas, 1984.

BOCK A. M. B.; GONÇALVES M. G. M.; FURTADO O. Psicologia sócio histórica. São Paulo. Editora Cortez, 2002.

BRASIL. CÂMARA, Projeto de Lei n. 7.500-B de 2006. Acrescenta o art. 86-A à Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para determinar a obrigatoriedade da assistência psicológica a educadores e educandos da educação básica. Disponível em: . Acesso em: 20 out. 2019.

BRASIL. Decreto n.99.710, de 21 de novembro de 1990. Promulga a convenção sobre os direitos da criança. Disponível em: . Acesso em: 20 out. 2019.

BRASIL. Lei n. 9.394 de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes bases da educação nacional. Disponível em: . Acesso: 23 set 2019.

BRASIL. Lei n.7.853, de 24 de outubro de 1989. Dispõe sobre o apoio as pessoas portadoras de deficiência, sua integração social, sobre a Coordenadoria Nacional para Integração da Pessoa Portadora de Deficiência - CORDE, institui a tutela jurisdicional de interesses coletivos ou difusos dessas pessoas, disciplina a atuação do Ministério Público, define crimes, e da outras providencias. Disponível em: .Acesso em: 20 out. 2019

BRASIL. Diretrizes assistenciais para a saúde mental na saúde suplementar. Agência Nacional de Saúde Suplementar. Rio de Janeiro: ANS, 2008.

CAMPOS JUNIOR, A.; AMARANTE, P. D. C. Estudo sobre práticas de cuidado em saúde mental na Atenção Primária: o caso de um município do interior do estado do Rio de Janeiro. Cadernos Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 23, n. 4, p. 425-435, Out/dez. 2015. Disponível em: . Acesso em: 09 outubro 2019.

CARVALHO, E. F. Perfil de dispensação e estratégias para uso racional de psicotrópicos. Monografia (Especialização Lato Sensu). Florianópolis: UFSC, 2014. 45f.

COUTINHO. M. E. M.; GIOVANINI, M.; PAVINI L. S.; VENTURA, M. T.; ELIAS, R. M.; SILVA, L. M. Aspectos biológicos e psicossociais da depressão relacionado ao gênero feminino. Revista Brasileira de Neurologia e Psiquiatria, Rio de Janeiro, v. 19, n. 1, p. 49-57, jan./abr. 2015. Disponível em: . Acesso em: 10 set. 2019.

GLAT, R. Refletindo sobre o papel do psicólogo no atendimento ao deficiente mental: ALÉM DO DIAGNÓSTICO. Disponível em : . Acesso em: 23 out. 2019.

GUIRADO, M. Temas básicos de psicologia: Psicologia Institucional. São Paulo: EPU, 2004.

PRODANOV C. C.; FREITAS E. C. Metodologia do trabalho cientifico: Métodos e Técnicas da pesquisa e do trabalho acadêmico. 2. Ed. Novo Hamburgo, RS, UNIVERSIDADE FEEVALE, 2013. Disponível em: https://books.google.com.br/books?hl=ptBR&lr=&id=zUDsAQAAQBAJ&oi=fnd&pg=PA13&dq=metodologia+observacional+gil+2008&ots=dbX7cdA6DN&sig=kvTP7R0y0tlpk8AVcl18xj7nEKQ#v=onepage&q=metodologia%20observacional%20gil%202008&f=false>. Acesso em: 16 out. 2019.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.